Remédio na viagem: dicas para não passar aperto
Like Chile

As melhores dicas de viagens para o Chile

Remédio na viagem: dicas para não passar aperto

janeiro 21, 2019

Fazer uma viagem quase sempre tem como objetivo conhecer novos locais, relaxar e não pensar em problemas, mas é sempre bom ir preparado. Neste post falaremos de algo muito importante: remédio na viagem.

Remédio na viagem

REMÉDIO DE USO FREQUENTE.

Se você utiliza remédios diariamente já deve estar preocupado se pode ou não levar seu remédio na viagem. E a resposta é: SIM pode.

A quantidade varia muito de acordo com o tempo que você vai ficar, se você ficará, por exemplo por 7 dias, recomendo que traga medicamento suficiente para 10 dias. Isso porque se acontecer algo na viagem (perder voo, etc), você terá remédio para 3 dias mais. Ou seja, sempre pensar em trazer um pouco mais para não passar aperto.

Remédio de uso controlado: nossa sugestão é que você traga a receita médica (ou cópia dela), para qualquer eventualidade de ter que comprovar, na entrada no Chile, que você  realmente precisa utilizar este medicamento.

Tours, passeios e roteiros no Chile

ATENÇÃO: a  receita brasileira não é válida no Chile, se você precisar comprar remédio aqui terá que passar por médico chileno. Então vale vir preparado com quantidade suficiente para os dias de sua viagem, sempre contando alguns dias como comentamos anteriormente.

Uma dica importante é sempre fazer Seguro Viagem, caso precise passar por um médico ficará mais fácil e mais barato. Saiba mais aqui

Remédio na viagem

REMÉDIO DE USO EVENTUAL.

Nunca viaje sem uma farmacinha. É importante trazer alguns remédios para qualquer eventualidade. Claro, a quantidade não é a mesma se comparado com os remédios de uso frequente, mas é bom trazer algo sempre. Algumas sugestões:

-Remédio para dor de estômago: é frequente que algo te caia mal. A mudança na comida normalmente é dos principais fatores dos brasileiros correrem para a farmácia.

-Remédio para dor de cabeça: outra constante das idas dos brasileiros que vão a farmácia, principalmente para os que costumam beber, aqui até a cerveja tem um teor alcoólico maior do que estamos acostumados no Brasil.

-Remédio para enjoo: se você vai fazer algum passeio para a Cordilheira dos Andes (principalmente Valle Nevado e Farellones) você provavelmente terá que tomar.

-Remédio para febre, gripe e resfriado: principalmente no inverno é comum que, por conta do frio, você precise de algo assim.

-Remédio para alergia: na primavera, principalmente em Santiago, você pode precisar.

-Remédio para crianças: antes de viajar vá ao pediatra e peça para ele te ajudar com uma lista de medicamento que pode dar e a quantidade. Não esqueça de trazer o termômetro

Inclua na sua lista: soro para nariz e colírio (o Chile é bem mais seco que o Brasil), bloqueador solar e labial são obrigatórios também.

farmaceutico-chile

COMPRANDO REMÉDIO NO CHILE

Mas, se mesmo depois das dicas você precisar comprar remédio te ajudamos mais.

-Farmácias:

No Chile é impressionante a quantidade de farmácias, às vezes tem uma em cada esquina, frente a frente, então você não terá dificuldade de encontrar uma. Mas nos feriados irrenunciáveis (quando os comércios são obrigados por lei a fechar), pode haver plantão de farmácia, ou seja, só algumas estão abertas. Normalmente você encontra um aviso da farmácia mais próxima aberta bem na porta das farmácias fechadas

As 3 marcas principais são Ahumada, Cruz Verde e SalcoBrand.

Normalmente elas aceitam cartão de crédito e pesos chilenos (reais não). Além de medicamentos você também encontra por aqui produtos de beleza, para crianças, etc.

farmaceutico-chile

-Remédios comuns:

Os remédios mais comuns (dor de estômago, dor de cabeça, etc), você pode comprar normalmente, sem receita médica. O farmaceutico poderá te ajudar, mas é preciso que ele te entenda. Então, ao invés de perguntar sobre um medicamento em especial, fale o que você está sentindo.

Isso porque nem todos os remédios que vendem no Brasil são vendidos aqui com o mesmo nome. Ou seja, é melhor você dizer: Estoy con dolor de cabeza (cabeça), guata (barrida), garganta. Ou Estoy mareado (enjoo), con fiebre (febre).

Uma dica é pedir para alguém do seu hotel, que fale português, que escreva em espanhol em um papel para você, assim pode facilitar a comunicação.

-Remédios controlados:

Como comentamos a receita brasileira não vale no Chile, então não tem jeito, se você precisar comprar seu remédio por aqui, terá que passar por um médico chileno. Por isso é importante que vá a um médico.

Importante dizer também se o que você tem é algo que não identifica, é melhor passar no médico primeiro e depois passar na farmácia. Uma dor de barriga forte, por exemplo, pode ser algo mais grave como intoxicação. Então é melhor não arriscar.

-Para economizar:

como no Brasil, por aqui também tem remédio genérico, mas normalmente você tem que pedir por eles (eles não te oferecem norlamente porque é mais barato). O nome é: medicamento BIOEQUIVALENTE

-Produtos que você pode precisar saber como fala em espanhol:

Alguns são bem diferentes: Parche (band-aid) // Suero (soro fisiologico) // Cinta Adesiva (esparadrapo) // Bastones de Algodón (cotonete)

Alguns são parecidos: Algodón (Algodão) // Jarabe (Xarope) // Gasa (gase)

Comentarios

17 respostas para “Remédio na viagem: dicas para não passar aperto”

  1. marcos disse:

    Oi David! Tudo bem? Gosto muito do seu blog, mas não gostei nem um pouco desse artigo, não acho legal você falar de remédios, induz a auto medicação. Os brasileiros são campeões em se medicar sem ir ao médico e isso não é nem um pouco legal, pode fazer muito mal para a saude.

    • David Gormaz disse:

      Olá Marcos, obrigado pelo comentário.

      Realmente a auto medicação é um risco à saúde. Como falamos no post, no Chile, como no Brasil, alguns remédios precisam de receita médica. E a ida ao médico é indispensável em todos os casos. Não estamos de forma alguma induzindo à compra desfreada de remédios, apenas informando.

      Abs.,
      David

  2. Andrea disse:

    Oi David, diferente do Marcos, adorei o post…mas fiquei com uma dúvida, vamos ao Chile em agosto e infelizmente meu marido tem enxaqueca cronica e em função disso toma muita medicação, com indicação médica (não sei se vamos conseguir levar a quantidade que ele usa em uma semana), pois dependendo do clima, alimentação…pode usar mais ou menos. Se for necessário comprar lá remédios como neosaldina, dorflex, naratriptano, será que é fácil? Desde já te agradeço muito, abçs

    • David Gormaz disse:

      Olá Andrea, obrigado pelo comentário.

      Este tipo de medicamento você encontra por lá sim, mas ~e necessário levar o nome do composto (você não achará como Dorflex, por exemplo) e a receita médica.

      Aproveite mais a sua viagem com o LikeChile Descontos, saiba mais em http://likechile.com/descontos/

      Abs.,
      David.

  3. Andrea disse:

    Obrigada David! Só mais uma dúvida, receita aqui do Brasil vale, ou ele precisará passar por um médico lá?Abçs

    • David Gormaz disse:

      Olá Andrea,

      as farmácias dos Chile são bastante rígidas quanto a medicamentos pscotropicos, pois há uma consulta do médico que deu a receita. Neste caso, a receita médica do Brasil não seria aceita porque o médico não estaria nesta lista.

      Para os demais casos a receita é válida, mas peça ao seu médico que coloque o nome do composto ativo e não o nome do remédio.

      Aproveite mais a sua viagem com o LikeChile Descontos, saiba mais em http://likechile.com/descontos/

      Abs.,
      David.

  4. Andrea disse:

    Mais uma vez te agradeço muito! Abçs

  5. Juliana disse:

    As farmácias, geralmente, funcionam até que horario?
    Obrigada!

    • David Gormaz disse:

      Olá Juliana,

      depende da região. Normalmente funcionam em horário comercial ou até um pouco mais tarde. De qual forma é comum fazerem escala entre elas para ter uma farmácia de plantão aberta.

      Já viu os tours imperdíveis lá no LikeChile Descontos? Não perca nenhum tour que consideramos imperdível. Veja no http://www.likechile.com/descontos

      Abs.,
      David.

  6. Ana Lúcia disse:

    Olá David, eu faço o uso de um ansiolítico e vou passar cinco dias em Santiago no Chile.Dessa forma, a receita do meu médico do Brasil é suficiente? -Penso em levar a quantidade necessária para os cinco dias. Residi por 1 ano e meio na Espanha levei uma receita com tradução juramentada,porém não foi necessária no aeroporto. -O que poderia me orientar neste sentido?
    Ana

  7. Max Relmis disse:

    eu gostaria de saber,vou levar meus medicantos pro Chille e vou passar um tempo la!Com todos os laudos em maos conseguirei os mesmo medicamentos por la?

  8. Pedro disse:

    David, excelente post. Vc sabe me informar quanto posso levar de remédio de uso controlado para o Chile? Tenho a intenção de passar um ano por lá.

    • David Gormaz disse:

      Olá Pedro, você terá que verificar a quantidade limite com o órgão competente, não sei te dizer.

      De qq forma, acredito que como você chega no Chile com visto turista, ou seja autorização para ficar no país por 3 meses, o limite deveria ser a quantidade suficiente para estes 3 meses, não mais que isso. Acredito que, além disso você tenha que comprovar que ficará todo este tempo, já que é um remédio controlado. No seu caso eu pediria a seu médico uma receita especial para os 3 meses, já que, inclusive nos casos de remédio controlado, como receita no Brasil é retida (se não me engano), você, para comprar um remédio teria que ir mês a mês no seu médico para conseguir comprar o remédio do mês.

  9. Gabriela disse:

    Olá, Saberia me dizer se remédios como: Dipirona, Antialérgico, Sal de frutas e Dramin, tem que declarar?

    • David Gormaz disse:

      Olá Gabriela,

      nossa dica é sempre declarar. Você não perderá nada fazendo isso. Ao contrário, se você tiver algo e não declarar (e for obrigatória a declaração), você terá que pagar multas altíssimas.

      Abs.,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *